LOGIN

Contos eróticos: Minha esposa transando com estranho e seu chefe

Neste conto, você vai saber como fiz para ver minha esposa transando com estranho e seu chefe, no mesmo dia e como foi o início de nossas aventuras.

Me chamo Renan, 30 anos e minha esposa Ana Paula 27, uma morena clara de um 1.65 magra, gostosa, porém tímida mas que amo muito. Somos casados a 7 anos e nosso casamento sempre foi bom mas depois do segundo ano, a coisa melhorou muito, quando resolvemos apimentar a relação com pequenas fantasias.

Esposa com um estranho

Ela sempre foi muito tímida e recatada, me fazendo ter um certo trabalho para “solta-la”, pois eu sempre fui muito tarado e sempre gostei de fantasias.

Adoro imaginar minha esposa transando com estranho (ou estranhos) e já até tentei convencê-la mas ela fica muito envergonhada e não aceita, mas adora que eu fale coisas do tipo na cama.

É lógico que ela não admite mas já percebi que ela vira uma maravilhosa esposa putinha na cama, quando peço para ela imaginar que é outro homem metendo.

Quando homens cuidam ela na rua ou quando um homem nota que ela está sem calcinha e fica devorando ela com os olhos, não posso evitar de levar minha esposa para a cama e narrar o que aconteceu ao seu ouvido, pois sei que ela vai fechar os olhos e gozar rápido e descontroladamente.

Todas as vezes que minha esposa está de saia ou vestido curto e um homem percebe que ela está sem calcinha e consegue ver sua bocetinha branquinha e depilada, ela fica envergonhada, mas é só eu tocar no assunto na cama, que ela fecha os olhos, acredito que imaginando ou relembrando e acaba gozando logo e urrando.

Quando viajamos para um local mais distante da civilização, geralmente interior para acamparmos e fazer trilha, não resisto e peço para ela tirar a roupa e ficar peladinha ao ar livre. Ela sempre reluta um pouco mas acaba aceitando, por que lá no fundo ela também gosta, mesmo que não admita.

Esposa puta

Um dia, fomos convidados para ir a festa de aniversário da esposa do patrão (dono da empresa) de Ana Paula, um senhor bacana de uns 50 anos que gosta muito de minha esposa.

Poucas pessoas foram convidadas mas nos sentimos muito à vontade, fomos bem tratados e o chefe de minha esposa sempre muito atencioso e bajulador com ela.

Havia um rapaz na festa, que tinha por volta dos 27, 30 anos, boa pinta, malhado, que não tirava os olhos de minha esposa, que estava com um vestido leve, pouco acima da metade da coxa, que eu insisti para ela usar.

Notei que ela tinha percebido que ele não tirava os olhos dela, deixando minha esposa animadinha e estranhamente mais sensual, o que me deixou com tesão.

Ana Paula tentava disfarçar mas não conseguia esconder que estava com tesão também, então levei ela até o corredor da casa, onde não havia ninguém e comentei que já havia percebido a troca de olhares.

Ela ficou um pouco nervosa e tentou desconversar, talvez achando que eu iria brigar, foi quando pegue sua mão e discretamente coloquei dentro de minha calça para que ela visse que eu estava todo melado de tesão.

Minha esposa adorou saber que eu estava gostando, então puxou sua pequena calcinha para o lado e colocou minha mão em sua bocetinha, me fazendo perceber que ela estava alagada.

Não podia perder a oportunidade que me renderia uma maravilhosa noite de sexo e quem sabe, conseguiria convencer minha esposa a dar para outro, então sussurrei ao seu ouvido para que ela fosse ao banheiro e tirasse a calcinha.

Ela estava com tanto tesão que concordou mas ficou um pouco receosa devido a seu vestido ser curo mas correu para o banheiro. Logo que saiu do banheiro, me abraçou, me beijou de uma forma mais quente, pegou minha mão e colocou entre suas pernas.

Constatei que ela estava sem calcinha, sua bocetinha estava encharcada e suas coxas estavam úmidas, evidenciando que seu melado já escorria. Percebi que ela estava um pouco nervosa, então convidei ela para bebermos um pouco, para ela ficar mais relaxada.

Bebemos por um tempo e o tal rapaz nos foi apresentado, onde pude notar que o abraço que ele deu em minha esposa foi um pouco demorado e imagino que devido a bebida, ela retribuiu.

Conversamos por um tempo e eu continuei dando bebida para minha esposa, que já não escondia mais seu desejo, me fazendo adorar a situação.

Deixei minha esposa conversando com o rapaz por um instante e fui perguntar ao patrão de Ana Paula, se ela e eu podíamos caminhar pela fazenda, que concordou solícito.

Notei que mais ao longe, atrás da casa, havia uma área de mata e convidei minha esposa para passearmos por lá. Logo que entramos na mata, já fui agarrando, beijando e levantando o vestido de minha esposa, que retribuiu mas ficou preocupada se alguém pudesse nos ver lá da casa.

Disse a ela que estávamos longe e a mata era densa, que nós poderíamos ver, mas quem estivesse lá não poderia. Era possível nos ver se alguém chegasse mais perto mas não contei a minha esposa pois ambos estávamos explodindo de tesão.

Coloquei ela apoiada em uma árvore, quase de quatro e comecei a penetrar sua bocetinha alagada, fazendo ela gemer baixinho. O tal rapaz estranho e o fato de alguém poder nos ver, nos deixou ainda mais excitados.

Percebi que o rapaz que gostou de minha esposa, estava vindo em nossa direção e não podendo perder a oportunidade, tirei o vestido dela, joguei longe e pedi que ela fechasse os olhos e imaginasse que o tal rapaz, era quem estava fodendo sua bocetinha.

Ela estava com tanto tesão e já um pouco bêbada, que fechou os olhos e logo começou a gemer um pouco mais alto. Ele entrou na mata e se deparou com aquela maravilhosa cena, de minha linda e gostosa esposinha pelada, sendo fodida.

Ele ficou parado por um tempo e não notando objeção minha, tirou seu membro para fora e começou a se masturbar, enquanto admirava. Eu aproveitando que ela estava de olhos fechados, perguntei a ela se ela estava gostando de ser fodida pelo macho que ela havia gostado na festa.

Ela disse que sim e pediu mais e mais forte. Perguntei se ela gostava de ser uma esposa putinha na frente do marido e ela respondeu que adorava ser putinha e que queria ser putinha de dois machos.

Foi a deixa para o rapaz, que se aproximou, deixando seu membro duro e melecado próximo ao rosto de minha esposa e continuou se masturbando para ela.

Não demorou muito, ela abriu os olhos e se deparou com aquele pau grosso e melado ao lado de seu rosto, fazendo com que ela se assustasse e tentasse se desvencilhar de mim, mas segurei firme sua cintura e continuei metendo.

Minha esposa olhou para trás com cara de surpresa e me viu alucinado de tesão, metendo forte, então ela esticou o braço e agarrou aquele pau, começou a masturbá-lo e logo puxou para sua boca.

Minha esposinha, antes tímida, estava agora mamando um estranho, enquanto eu socava forte em sua bocetinha. Logo convidei ele a trocar de lugar comigo e minha esposa passou a me chupar enquanto ele socava sua tora na bocetinha de minha esposa. Ela gozou três vezes seguidas no pau dele.

Não demorou e nosso novo amigo gozou forte, inundando a bocetinha de minha esposa, então foi a minha vez. Dei meia dúzia de estocadas na bocetinha gozada de minha esposa e gozei descontroladamente.

Minha esposa foi até a bolsa para pegar a calcinha, eu fui pegar o vestido, enquanto o rapaz voltava para a festa. No que estou juntando o vestido de um arbusto, vi o patrão de minha esposa com o pau na mão se masturbando.

Chamei minha esposa para ver e quando ela chegou, ele gozou em golfadas e gemendo alto, enquanto olhava para minha esposa. Ana Paula ficou morrendo de vergonha do patrão, mas ele pediu desculpas, pois não conseguiu resistir.

Nos contou que sempre desejou minha esposa mas nunca faltaria com o respeito, que nos viu nos acariciando no corredor e ficou com muito tesão. Pensou em nos seguir, se esconder na mata para se masturbar, admirando minha esposa a distância, mas acabou se deparando com aquela cena e não resistiu.

Deu para notar que Ana Paula gostou de saber que tinha outro admirador mas a vergonha, por ser o seu patrão, falava mais alto. Minha esposa achou melhor irmos embora, mesmo com toda insistência de seu patrão para ficarmos.

Em casa, Ana Paula ficou mais tranquila e pudemos conversar. Notei que ela ainda estava com tesão pelo que tinha acontecido, que seu patrão já não era mais “o” grande problema e até me mostrou sua calcinha encharcada de porra.

Esposa com um estranho

Tamanha era a euforia de Ana Paula, que ela queria conversar sobre o que tinha acontecido, antes mesmo de tomar banho.

Depois que a euforia baixou, minha esposa comentou que o patrão dela poderia falar para alguém ou que ele poderia demití-la e seu salário era ótimo. Mostrou estar preocupada também, com o fato de que ele poderia querer algo com ela.

Logo percebi que não era preocupação mas um pedido de autorização disfarçado. Como eu estava adorando, disse a ela que seria bom ela dar para o chefe para garantir que ele não falasse para ninguém, pois ele também era casado e tinha muito a perder.

No início ela disse que não transaria com ele, por ele ser bem mais velho, por ser patrão dela entre outras desculpas, mas no final acabou concordando, dizendo ser uma atitude inteligente, evidenciando sua vontade.

Neste mesmo momento, pedi que ela ligasse para ele para conversarem e precisava ser logo, pois já poderia ser tarde de mais. Ela então ligou e estranhamente seu patrão disse que passaria em nossa casa em poucos minutos.

Fiquei apreensivo mas louco de tesão, pois não sabia o que iria acontecer e queria ver minha esposa ser fodida por outro novamente. Ela estava excitada e não parava de olhar para o relógio.

Logo que ele chegou, minha esposa tentou enfeitar pedindo discrição para ele mas eu não poderia deixar ele ter ido até ali, só para que ela pedisse “discrição”, então disse a ele que a única forma de confiar nele, era ele transando com minha esposa para “também ter o rabo preso”.

Ele adorou a idéia, mas Ana Paula ficou atônita com o que eu disse, mas eu não aguentava mais de tesão e queria ver ação.

Rapidamente o chefe tirou o pau para fora e levou até o rosto de minha esposa que estava sentada no sofá. Minha esposa abocanhou o pau dele, ainda meio sem graça e com vergonha mas ao ver que eu estava me masturbando, começou a chupar com vontade.

Esposa chupando o chefe

Ele socava com força o pau na garganta dela, ela se afogava e eu estava adorando ver a cena de minha esposinha virando putinha novamente e no mesmo dia.

Sugeri que fossem para o quarto e logo que chegaram, foram tirando a roupa, enquanto se beijavam ardentemente e eu me masturbando.

Ele deitou minha esposa de barriga para baixo na cama, chupou sua bocetinha gostosa e foi logo introduzindo seu pau grosso de uma vez. Ela deu um gritinho mas não demostrou resistência, fazendo com que ele socasse fundo e com força, como um animal.

Ela gemia alto e eu me masturbava, já com meu pau estalando de duro, todo melado e louco para meter também. Logo ele gozou rios de porra na bocetinha de minha esposinha.

Ele se levantou, limpou seu pau com o lençol, disse que aguardaria na sala e eu não pude resistir aquela bocetinha vermelha, inchada e jorrando porra. Meti de uma só vez e soquei com vontade enquanto Ana Paula gemia como uma putinha.

Logo em seguida, ela gozou urrando incontrolavelmente, então me apressei e gozei, enchendo ainda mais a bocetinha de minha esposa de porra. Ela estava exausta, então me limpei fui até a sala, me despedi do chefe e quando voltei, Ana Paula estava dormindo na mesma posição e sua bocetinha ainda escorria porra.

Boceta gozada da esposa

Este foi só o começo de nossas aventuras e houve outras transas de minha esposa com seu patrão mas isto fica para os próximos contos.

Conto enviado por Renan


Hidden Lifes

Hidden Lifes - Única Rede Social de Sexo e Swing, grátis do Brasil. Muitas pessoas esperando você. Crie sua conta Grátis.

Criar Conta
Configurações de privacidade
Utilizamos cookies para melhorar sua experiência ao usar nosso site. Se você estiver usando nossos serviços através de um navegador, poderá restringir, bloquear ou remover cookies através das configurações do seu navegador. Também usamos conteúdo e scripts de terceiros que podem usar tecnologias de rastreamento. Você pode fornecer seletivamente seu consentimento abaixo para permitir tais incorporações de terceiros. Para obter informações completas sobre os cookies que usamos, dados que coletamos e como os processamos, consulte nossa Política de Privacidade. Equipe Hidden Lifes.
Youtube
Consentimento para exibir conteúdo de - Youtube
Vimeo
Consentimento para exibir conteúdo de - Vimeo
Google Maps
Consentimento para exibir conteúdo de - Google
Spotify
Consentimento para exibir conteúdo de - Spotify
Sound Cloud
Consentimento para exibir conteúdo de - Sound