LOGIN

Contos eróticos: Eu bêbado e minha esposa transando com o coroa

Saímos um dia, minha esposa ”Camila” e eu. Era mais uma daquelas saidinhas, um sanduíche, uma bebida e casa! Estava calor e ela estava com uma roupa bem a vontade, chegamos em uma lanchonete e comecei a tomar umas cervejas.

Camila dizia para mim, “não beba muito que não vou levar ninguém embora”, e eu nem aí, comemos umas porções e nisso a lanchonete foi enchendo, pois tinha música ao vivo.

Não demorou para que eu ficasse muito bêbado e a Camila com vergonha, tentou me levar embora, chamou um táxi mas como sou pesado, Camila não aguentava.

De repente surgiu um senhor de uns 50 anos e nós temos 34 anos. O senhor bem trajado, se ofereceu para ajudar, Camila aceitou sua ajuda e pediu para me levar para fora e me colocar no taxi mas o Sr. (Valter), disse que não havia necessidade, pois ele mesmo nos levaria.

Camila aceitou e me colocaram no carro. Eu estava muito mal, mas percebia a desenvoltura dos dois na conversa.

Chegamos em casa, ele me pegou em seu ombro, Camila abriu a porta e o Valter me colocou no sofá.

Lembro o que ela disse a ele: ‘’Ele não é acostumado a beber mas quando bebe, dorme a noite inteira.’’

A principio Valter se mostrou solidário em escutá-la, então ela agradeceu, o Sr Valter disse a ela que não tinha tomado nada na lanchonete e seria uma forma de agradecimento se ela oferecesse uma bebida antes de ele ir.

Ela relutou um pouco mas disse que o serviria um Whisky e ele por sua vez perguntou se não gostaria se me levasse para o quarto.

Ela voltou a frisar que não havia necessidade, pois eu apagava quando bebia mas eles não haviam notado que eu estava consciente, porém fingia não estar.

Ela serviu a bebida pra ele, onde ele perguntou se ela não bebia e ela disse que não gostava.

Ele insistiu e ela tomou um gole, então Valter fez de conta que tomou e voltou o copo pra ela, ela sorveu o copo inteiro de Whisky e ele sorridente, disse que achava melhor ela pegar mais um pouco, pois ela tinha tomando todo o Whisky.

Ela foi até a estante, pegou o Whisky e encheu o copo, me causando estranheza, pois até então, ela não havia mostrado nenhum comportamento suspeito.

Ela trouxe o copo mas antes de passar ao coroa, deu um golaço que quase esvaziou o copo. Valter brincou novamente e disse que se continuasse daquele jeito, seria melhor ela trazer o litro.

Ela não se fez de rogada e voltou até a estante e pegou o litro e deu ao Valter, que por sua vez voltou a encher o copo e também começou a beber.

Naquele instante os dois riam e parecia que eu não estava ali, então Camila percebendo que estava ficando tonta, disse que seria melhor ele ir embora.

Ele olhou pra ela e perguntou se ele tinha cara de bobo, fazendo com que ela perguntasse o porque e em resposta ele afirmou, que não havia ido ali só para beber.

Afirmou ainda que ela deveria mostrar gratidão pela ajuda. Neste instante ele se aproximou dela e a puxou para junto dele.

Ela tentou se soltar mas ele a segurou com firmeza e devido a insistência, aos poucos ela foi cedendo e ele por sua vez não perdeu tempo.

Pensei em me levantar e acabar com aquilo, mas em minha situação acho que não conseguiria fazer muita coisa.

Consegui ver que ele a segurou pela cintura, tentando beijá-la na boca, ela inicialmente não correspondeu, mas na segunda investida, acredito que por conta do Whisky, acabou aceitando e retribuindo.

Além de beijar, ela o deixou agarrar sua bunda e não notando resistência, ele a ordenou, que tirasse a roupa e ela obedeceu.

Foi tirando a blusa, com ele ajudando e aos poucos ela começou a tirar a calça, deixando a mostra sua tanga chamativa.

Ele se deteve diante daquela chaninha e ela, que prevendo o que iria acontecer, mexeu em mim para ver se eu estava realmente dormindo.

Permaneci imóvel, fazendo com que ela continuasse o ritual, nisso o Valter já estava nu e o que ela viu, talvez nem imaginasse ver, era um membro de uns 25 cm e grosso.

Ele não perdeu tempo, puxando-a contra seu corpo e virando-a de costas, puxou sua tanga para o lado, e pincelou aquela tora em sua bocetinha.

Incrível foi a facilidade com que a cabeça entrou, me fazendo acreditar que ela já estava molhadinha desde a hora que chegamos em casa.

Valter começou a insulta-la, dizendo que daria a ela o que o bêbado não deu e ela por sua vez só gemia. De repente, o homem socou a rola tudo de uma vez na boceta da minha esposa e começou um vai e vem frenético.

Ela gemia e balbuciava palavras sem nexo, enquanto Valter perguntava se ela estava gostando, ao que ela respondia que sim.

Ele falou para que ela gozasse bastante pois iria comer sua bundinha também, fazendo com que ela se assustasse mas pelo fato de estar com aquela tora atolada na boceta, ela só rebolava.

Ficaram pelo menos 05 minutos naquele movimento, então ele tirou a rola e mandou ela deitar de pernas abertas, quando ela obedeceu, pude ver o estrago que aquela rola havia feito em sua bucetinha.

Mesmo assim ele segurou as pernas dela para o alto e voltou a socar a rola em boceta, em muitas estocadas, até que ele avisasse que iria gozar.

Ele tirou a rola de sua boceta e deu para ela, que começou a masturba-lo, fazendo-o gozar em cima dela.

Quando ela pensou que havia acabado, ele a puxou para o seu pau, fazendo com que ela chupasse até a ultima gota.

Assim que ela acabou de limpar todo o seu cacetão, ele já estava duro novamente, então ele disse para ela virar, chamando-a de cadelinha.

Disse ainda, que queria arregaçar sua bundinha, olhando para ele, ela pediu para que não o fizesse mas ele afirmou que não era uma opção.

Nesse instante ele a virou, colocando-a de quatro, me fazendo pensar que ela não iria aguentar aquela rola toda no rabinho mas ele lubrificou o pau em sua própria porra e começou a socar no cuzinho dela.

Ela chorava e dizia que não iria aguentar mas ele não dava ouvidos, continuando a socar e ela chorando.

De repente ela começou a rebolar, pedindo para ele gozar dentro dela, fazendo meu pau latejar dentro da calça, tamanho era meu tesão.

Aquele macho urrou, inundando o cuzinho dela de porra e quando ele tirou a rola de seu cuzinho, ela gemeu aliviada.

Ele ainda deu uns tapinhas na bunda dela, perguntando se ela havia gostado e ela simplesmente disse ”vai embora”. Ele obedeceu, vestiu as roupas e saiu.

Ela passou a alisar sua bocetinha e no cuzinho, acredito que para ter uma noção do tamanho do estrago.

Ela foi tomar banho e quando saiu do banho, ela passou por de mim e disse: ”viu seu bêbado, você não sabe o que perdeu, o coroa fez o seu serviço…continua bebendo, que eu vou aproveitar.”

Passou um tempo, não resisti e fui ao banheiro me masturbar. Meu pau escorria meu melado, me fazendo gozar em seguida, sem muito esforço. Nunca havia gozado tanto e tão rápido.

Mal posso esperar para ver minha putinha dando para outro macho novamente. Foi maravilhoso.

Hidden Lifes

Hidden Lifes - Única Rede Social de Sexo e Swing, grátis do Brasil. Muitas pessoas esperando você. Crie sua conta Grátis.

Criar Conta
Configurações de privacidade
Utilizamos cookies para melhorar sua experiência ao usar nosso site. Se você estiver usando nossos serviços através de um navegador, poderá restringir, bloquear ou remover cookies através das configurações do seu navegador. Também usamos conteúdo e scripts de terceiros que podem usar tecnologias de rastreamento. Você pode fornecer seletivamente seu consentimento abaixo para permitir tais incorporações de terceiros. Para obter informações completas sobre os cookies que usamos, dados que coletamos e como os processamos, consulte nossa Política de Privacidade. Equipe Hidden Lifes.
Youtube
Consentimento para exibir conteúdo de - Youtube
Vimeo
Consentimento para exibir conteúdo de - Vimeo
Google Maps
Consentimento para exibir conteúdo de - Google
Spotify
Consentimento para exibir conteúdo de - Spotify
Sound Cloud
Consentimento para exibir conteúdo de - Sound